Informação complementar – Provas de Aferição Práticas — ComRegras

via Informação complementar – Provas de Aferição Práticas — ComRegras

Advertisements

ILC… Acabem lá com este disparate!!! — ComRegras

Anda a circular por aí uma Iniciativa e dizem os entendidos, que não se percebe nem porquê nem para quê. Pelos vistos, alguns professores, feitos chicos-espertos, completamente desocupados e a precisar de atenção resolveram acabar com a tranquilidade da classe docente e criaram um projeto-lei para exigir a contagem integral do tempo de serviço. […]

via ILC… Acabem lá com este disparate!!! — ComRegras

A Fenprof Volta a Reagir! 1 – Os “Argumentos”

“Este é um argumento político que nos diz que a resolução 1/2008 foi feita apenas para iludir os papalvos e para preencher agenda, pois, pelos vistos, não há a garantia de “qualquer grupo parlamentar” apoiar a concretização do que prometeram. Sublinho a expressão porque se percebe que, afinal, eles são mesmo “todos Centeno” e a submissão à lógica orçamental sobre os direitos laborais é aceite por todos os partidos representados na Assembleia da República. É isto que a Fenprof diz. Se fosse em outros tempos, este tipo de argumento usado pela FNE ou por um partido de “Direita” levaria a rasgarem as vestes e a dizerem o pior possível de tal pragmatismo político resultante da “obsessão” com a disciplina orçamental.” Paulo Guinote

O Meu Quintal

Vou directo ao que passa por ser a “substância” da nova resposta da Fenprof a uma iniciativa que parece estar a incomodá-los mais do que seria de esperar. Com o título de “Falar claro!” faz mais por baralhar os colegas do que por esclarecê-los. Por isso mesmo, vou primeiro ao que são apresentadas como “as razões por que a FENPROF não apoia a iniciativa legislativa de cidadãos sobre a recuperação do tempo de serviço”. Mais tarde, com natural delícia, irei ao resto do texto que é muito revelador sobre a perceptível falta de capacidade política da Fenprof influenciar seja o que for de relevante para a carreira dos professores que ainda pensam tê.la.

“Argumento” 1:

Um é exigir que a contagem integral e consequente reposicionamento tenham lugar em 2019. Só por si, inviabilizaria a aprovação da contagem de todo o tempo, pois dificilmente contaria com o apoio de qualquer…

View original post 827 more words

Ministério garante que professores de colégios não ocuparão lugares do público — ComRegras

O “garante” devia estar escrito… Normalmente é assim que funciona. O Ministério da Educação (ME) garante que nenhum professor oriundo de uma escola com contrato de associação irá ocupar lugares dos quadros nos concursos de vinculação abertos neste ano letivo. Em causa está o concurso de integração extraordinária (CIE), em que estão em disputa 2084…vinculação, “apenas poderão concorrer docentes que tiverem lecionado em escolas do ME”.

via Ministério garante que professores de colégios não ocuparão lugares do público — ComRegras

Iniciativa Legislativa de Cidadãos para contar tempo de serviço: de que tem medo a FENPROF? — ComRegras

 

A FENPROF, através do seu secretariado, brindou a Iniciativa Legislativa de Cidadãos, relativa ao tempo de serviço e à sua contagem integral, com um esclarecimento. O “esclarecimento” dirige-se aos que a promoveram e aos milhares que já a assinaram (a esta hora perto de 20% dos necessários para ser discutida no Parlamento). Ao ler, parece…

via Iniciativa Legislativa de Cidadãos para contar tempo de serviço: de que tem medo a FENPROF? — ComRegras

HORÁRIOS E DISTRIBUIÇÃO DE SERVIÇO PROPOSTA DA FENPROF

A DISCRIMINAÇÃO  CONTINUA!

Helena Canaria para Associação de Professores do 1º Ciclo e Educadores

7 h ·

Tenho pena que se persista no erro!

HORÁRIOS E DISTRIBUIÇÃO DE SERVIÇO PROPOSTA DA FENPROF

5.1. Os docentes em monodocência beneficiam de 3 períodos, de um ano escolar cada, de dispensa da componente letiva, a atribuir após cumprida a prestação de 20, 25 e 30 anos de serviço, respetivamente, a concretizar num dos 5 anos letivos imediatos ao da verificação do requisito do tempo de serviço mencionado. As horas de redução revertem para a componente não letiva de trabalho individual.

Luisa Novo Deviam acabar com esta diferença salarial. Sim, não vejo isto como “trabalhamos mais horas que os outros ciclos”, mas sim “a minha hora (minuto, segundo o MEC) é mais barata do que a dos outros ciclos”. Parece-me que o ministério não vai mexer na idade da reforma, e por isso deviam todos passar a ter 1100 minutos e respetivas reduções, e acabava-se o assunto.

27654722_10208053072123432_4848963633974430546_n