Afinal havia outros!

 

Sindicatos independentes de professores admitem recorrer à greve

ASPL, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SIPE, SIPPEB e SPLIU, seis estruturas sindicais independentes representativas de educadores e professores solicitaram uma reunião de urgência ao ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues. “Os Sindicatos Independentes esperam reunir com o Sr. Ministro a curtíssimo prazo para obterem as necessárias respostas, esclarecimentos e compromissos em relação aos assuntos em apreço, sob pena de terem de ponderar outras formas de luta, entre as quais, o recurso à greve”, explicam os sindicatos em comunicado enviado às redações.

Municipalização só avança com garantias financeiras

Por mim ficava como está!

Em ano de eleições é uma grande prenda para as autarquias.
Pelas competências previstas haverá redução de poder dos diretores, já que vão perder competências.
Por outro lado, em todas as equipas do diretor há um adjunto quase exclusivamente com competências de gestão do ASE, transportes de visitas de estudo, cantinas, bufetes…outros adjuntos também têm competências na área de pessoal não docente tal como os coordenadores de estabelecimento.
Ora, perante o cenário que se prevê, adjuntos e coordenadores de estabelecimento ficarão com competências bastante esvaziadas! Haverá necessidade de alterar a legislação da gestão escolar e reduzir o número de adjuntos que ficarão quase só restritos à componente pedagógica. Até o papel dos diretores vai sofrer cortes de competências!
Mas isto pode não ficar por aqui, pois as autarquias irão querer “molhar o pão na sopa” e colocar gente nos órgãos das escolas tendo tantas competências atribuídas.

Como já se pode verificar em muitos casos, esta transferência de competências vai potenciar em larga escala o compadrio e os amigos da cor…