Os fundamentos do modelo de governo das escolas: ou…. que tal ganhar vergonha na cara (ou nos rostos)? — ComRegras

Vai realizar-se, no dia 2 e 3 de Novembro, na Gulbenkian, o Congresso das escolas, organizado pelas duas associações de diretores e por duas associações de escolas privadas (as do ensino profissional e a das outras privadas). Até acho que o debate tem sempre interesse, embora cada vez me convença mais que coisas deste tipo…

via Os fundamentos do modelo de governo das escolas: ou…. que tal ganhar vergonha na cara (ou nos rostos)? — ComRegras

Professores, os que menos sabem de Educação

Pode ter passado despercebido a muita gente, mas os professores são efectivamente seres humanos, logo imperfeitos, falíveis por isso mesmo, dotados de imprescindíveis insuficiências sem as quais seriam divindades. Alguns são, até, redundantes, de tão preocupados em confirmar a humanidade da classe a que pertencem. Professores são, portanto, pessoas.

Em Portugal, há cerca de 140 000, contando com uns 30 000 que foram afastados das escolas graças a desculpas esfarrapadas proferidas em nome de uma dívida pública que continua a ser uma história tão mal contada como as que inventam cônjuges apanhados em flagrante delito de delírios carnais: no fundo, os sucessivos governos apanhados a entregar dinheiros nossos a privados desvairados também dizem coisas como isto não é o que parece ou eu posso explicar. Claro que há sempre quem goste de ser enganado, o que explica tanto voto nos do costume…

Quem percebe então de educação?  Os gestores claro!

Fonte: Professores, os que menos sabem de Educação