Ana Rodrigues Martins

Há um ano escrevi isto, a propósito de um revoltado e mal redigido texto, de uma colega do 120, chateada com os professores do 1 ciclo (de onde provavelmente provinha)

Um texto miseravelmente redigido e que é sintoma lapidar do profundo desrespeito em relação aos professores do 1° ciclo.
Os professores do 1° ciclo, monodocentes, são os únicos que têm uma componente lectiva de 1500 minutos que invariavelmente se transforma em 27, 28 e mais horas dentro da escola. Nenhum, repito, NENHUM outro professor de qualquer outro nível de ensino tem esta carga horária.
Um professor do 1° ciclo é monodocente, ou seja, responde pela sua turma perante os pais, as direcções e a tutela. Todos os outros docentes que lhe entram pela turma e lhe dilatam o horário, esperam dele que resolva os problemas daquela turma, onde eles apenas vão dar a sua hora de aulas, ou seja, o titular atende os pais, o titular dirime questões disciplinares, o titular articula trabalho com AECs, Educação Especial, Inglês, SPOs, orientadores de projectos, terapeutas e sei lá quem mais… O titular entra TODOS OS DIAS, de Segunda a Sexta às 9 da manhã, saindo às 16 ou 17.30, mas tem de ter boa vontade e cara alegre para quem lá vai umas horas por semana, tendo dias livres ou horários de meio dia. O titular de turma é o gajo do fim da pirâmide, toda a gente lhe põe a pata no pescoço, até quem não sabe ler nem escrever.
Farta. Até ao osso, o que no meu caso é distante.

Farto de tanta “treta”

Já passou algum tempo desde o último texto que escrevi para o ComRegras e verifico que no panorama da educação nada se alterou. Estou cansado de tanta “treta” e, por isso, decidi abordar vários assuntos neste texto. Sabemos que o número de alunos matriculados tem diminuído exponencialmente, ainda assim continuamos com políticas educativas ao estilo…

 

via Farto de tanta “treta”! — ComRegras