Executivo fecha a porta a progressões com regras atuais

O governo está a estudar cenários para conseguir contabilizar os nove anos e meio de trabalho dos professores para efeitos de progressão na carreira, mas partindo da premissa de que, até 2019, não há verbas para suportar a despesa em causa, que ascende a 630 milhões de euros.

Mas este Gajo Fala em Nome de Quem? — O Meu Quintal

UGT admite acordo faseado com professores, “até por futuras legislaturas” Carlos Silva mandou “pela primeira vez” um SMS a Costa a pedir negociação pelos professores. E falaram na segunda-feira à noite. A UGT sente “uma certa orfandade”. Mas está aberta a negociar um acordo comportável para Centeno. (o mesmo se aplica ao Arménio… entre as […]

via Mas este Gajo Fala em Nome de Quem? — O Meu Quintal