Censura no Facebook — Escola Portuguesa

A página satírica Jovem Conservador de Direita foi apagada definitivamente do Facebook esta semana. Acusado de “incentivar o ódio”, um dos responsáveis pela publicação alerta para os limites à liberdade de expressão que o “ataque” do Facebook representa. Com mais de 54 mil seguidores, o Jovem Conservador de Direita foi vítima de um novo um […]

via Censura no Facebook — Escola Portuguesa

Reprodução de alguns dos tweets mais recentes e inspirados…

Na democracia ideal só existe um partido. O líder é tão competente que as pessoas sentem que não vale a pena votar noutros partidos. Eu posso ser esse lider para Portugal. E a trabalhar em part time. Não vou sair da Goldman só para ser primeiro ministro de Portugal.

A excessiva visibilidade de diretores e dirigentes sindicais de topo

A greve dos professores argentinos  apoiados pela população é a prova que o protagonismo deve ser das bases, e não das cúpulas.

Já se percebeu que há uma aliança de forças políticas e sociais, umas declaradamente contra eles, outras manifestando-se a favor, mas na prática a aceitar  o que as primeiras decidem, no sentido de negar aos professores aquilo a que têm direito.  O orçamento surge folgado para alguns grupos mais próximos do poder político, os professores ficam em modo de espera!

A valorização do papel de dirigentes em sobreposição aos verdadeiros atores da construção da futura sociedade, não é benéfico à escola pública. Essa  valoração têm sido promovida por todos os ministro da educação desde Maria de Lurdes Rodrigues, e não parou.

f7a42-estagiario_faz_tudo_400x400