O protagonismo dos dirigentes

 O protagonismo voltou ao ME e sindicatos com o braço de ferro do reposicionamento na carreira. Esquecemos as turmas numerosas em desconformidade com a lei, e a dureza do nosso trabalho de sala de aula?

Não, devemos manter a crítica à lentidão da diminuição de alunos por turma. No próximo ano passa para 24 alunos  no primeiro ano.  Turmas com vários anos de escolaridade e NEE precisam de ser redistribuídas. A democracia e o diálogo deve voltar aos agrupamentos,  para um trabalho de equipa, com empenho de todos.

Aplaudo o que se tem conseguido, após o retrocesso dos ministros MLR e Crato, mas muito está ainda por fazer.

3d52c-sad2bteacher