Comentário de LC no ComRegras

Atenção que a avaliação diagnostica pode ter desaparecido com o 55/2018, de 6 de julho, conjugado com a Portaria n.º 223-A/2018, de 3 de agosto, mas ela ainda existe nos 2.º, 3.º, 4.º, 6.º, 8.º e 9.º, 11.º e 12.º anos porque esta legislação apenas diz respeito aos 1.º, 5.º, 7.º e 10.º anos (anos da implementação da flexibilidade e autonomia curricular). Além de que a “recolha de informação” sempre fez parte da avaliação formativa, no meu entendimento.

e39a9-webp-net-gifmaker281129

 

A “Bonificação” Que Poderá Nunca Chegar

O Meu Quintal

Num comentário em post anterior surgiu uma questão que parece ter escapado à larga maioria acerca da pseudo-“bonificação” que o governo pretende atribuir aos professores em vez do tempo de serviço sonegado.

Atentem na formulação do comunicado:

O governo irá aprovar um decreto-lei no sentido de permitir que a partir de 1 de janeiro de 2019, aos docentes do ensino básico e secundário cuja contagem do tempo de serviço esteve congelada entre 2011 e 2017, seja atribuída uma bonificação de 2 anos, 9 meses e 18 dias a repercutir no escalão para o qual progridam a partir daquela data.

Isto significa que a chamada “bonificação” não será imediata, mas apenas no escalão para o qual venham a progredir a partir de 1 de Janeiro de 2019. Ou seja, em casos como o 4º ou 6º escalão, dependentes de quotas, no limite, pode nunca vir sequer a acontecer e, para todos…

View original post mais 452 palavras