O Ministro Tiago, Qual Anita, Foi Ao Parlamento

O Meu Quintal

E levou muitos números, que apresentou de forma menos mortiça do que o habitual e, pelo menos nos excertos que apanhei nos noticiários da TSF e numa peça televisiva, até piscou menos os olhos e embrulhou-se menos nas palavras. Ouvi tudo aquilo, desde uns exactos 19% de ganhos salariais até 2 ou 3 mudanças de escalão para 90% dos professores até 2023 e perdi-lhe qualquer réstia de respeito, porque quem se presta a um papel destes, depois de tudo o que andou a dizer, é porque é “artista”, como diria o cavaco velho. Não vou já na conversa mole do “bom rapaz da província”, que até “estava muito bem em Cambridge como investigador” (as aspas não significam citações directas, mas o espírito da coisa) e decidiu vir “servir Portugal”. Não, o ministro Tiago ou já era ou tornou-se no pior que muitos políticos são, uns troca-tintas, sem qualquer…

View original post 474 more words

Advertisements

“Pressionar o senhor ministro ou não pressionar nada é rigorosamente o mesmo” — ComRegras

Os professores decidiram fazer guarda de honra no parlamento, no final da primeira semana de greve às atividades não letivas. O protesto coincide com a presença do ministro da Educação, no parlamento, para falar do orçamento para as escolas e, de acordo com o representante dos professores, Mário Nogueira, serve para pressionar o governo.

“Pressionar o senhor ministro da Educação ou não pressionar nada é rigorosamente o mesmo. É uma pressão sobre o Governo e é uma pressão sobre os partidos também, os grupos parlamentares, na medida em que, como todos sabemos, o Orçamento do Estado em relação às questões da Educação vale zero. Não tem nada.”

via “Pressionar o senhor ministro ou não pressionar nada é rigorosamente o mesmo” — ComRegras