A estranha cola da oposição

https://leitor.expresso.pt/diario/terca-5/html/caderno1/opiniao/Professores-a-estranha-cola-da-oposicao-?fbclid=IwAR2iyD5bMVgeOt8sDKpnRasgEswfWO4yRBxzu4xkbKQGlf_DtsEuR1IuSHw

Ricardo Costa é intelectualmente desonesto. Porquê? Porque sabe o que os professores sofreram no tempo da troika, com cortes nos seus subsídios, com aumentos das taxas de irs e com aumentos dos descontos para a ADSE.

Sabe que milhares de docentes foram para o desemprego, tendo mesmo sido aconselhados a emigrar pelo agora professor (com “p” minúsculo, e só porque não há menor) Passos Coelho. E sabe que grande parte do dinheiro que tapou os buracos dos bancos falidos vieram através do que se “cortou”, ao longo de quase 10 anos, aos professores.

Pior: sabe que os congelamentos começaram nos governos do PS, o primeiro deles muito antes da vinda da troika, distorcendo assim a verdade como quem, ao moldar o barro, transforma em segundos um lindo vaso num penico, mas sem conseguir esconder a prova do crime: as mãos sujas de calúnias.

Mas o que mais enoja neste tipo de discurso, que o Expresso tem vindo a difundir quase semanalmente com o intuito de reduzir a perda dos votos dos professores e suas famílias neste governo, é a tentativa de convencer a opinião pública de que a classe docente tenta, a todo custo, ser a única a não sofrer o que todos os portugueses sofreram. E é a essa tentativa ignóbil de tentar enganar um povo carente de justiça e de afectos, que deixo as seguintes perguntas:

– O que perdeu Ricardo Costa durante o negro período em que a maior parte do povo português muito sofreu, professores incluídos? Perdeu seu emprego? Viu ser reduzido o seu salário? Viu serem-lhe cortadas regalias?

Não, nada disso. Ricardo Costa, irmão de António Costa, nada perdeu. Porque ele é que pertence à classe dos que nunca sofrem, dos que ficam sempre incólumes, dos que nunca sentem sequer uma leve brisa à passagem dos mais fortes furacões.

Ricardo Costa faz parte da elite dos privilegiados deste país. Dos intelectualmente desonestos privilegiados que tudo fazem para que o poder continue nas mãos-sujas dos de sempre.

Não vá ele perder o seu.

Maurício Brito
Advertisement

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s