O braço de ferro vai manter-se – profs lusos

Como todos sabemos o cerne da questão não está no tempo de serviço a ser recuperado (esse terá mesmo de ser os 9 anos, 4 meses e 2 dias furtados), mas sim no intervalo temporal (faseamento) em que o Governo terá de os devolver. Não acredito que algum sindicato se coloque no “pântano” das cedências em termos de tempo de serviço a devolver, tal como não acredito que o Governo altere muito a proposta dos 2 anos, 9 meses e 18 dias.