Depoimento do ministro ao Expresso

Que dias os daqueles anos! Foram tantos, e tão marcantes, aqueles 4 anos na Escola da Vila, onde já antes, ocasionalmente, ia com a minha mãe – também ela professora primária, numa escola de outra freguesia – ou esperar o meu primo mais velho, que já ali estudava, e que era o companheiro de tardes e tardes de carrinhos de rolamentos na nova estrada que unia as nossas casas.

Entrar naquela escola implicou fortes e duros sacrifícios, que pareciam montanhas difíceis de transpor: manter-me sentado na sala de aula, falar maioritariamente quando me diziam que podia falar, e tratar as professoras por professora, quando eram para mim, com apenas 6 anos e desde sempre, as colegas e amigas da minha mãe. Agora tinha que dizer: a dona Milú, a dona Maria da Luz, a dona Ester, a dona Fernanda, a dona Guida e a dona Gracinda. A minha prima Gracinda, que depois ainda foi minha professora do 4.º ano, e a quem também me dirigia, estranhamente, com toda aquela deferência…

Uma opinião sobre “Depoimento do ministro ao Expresso”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s