Uns vão bem outros mal

” Nos dias que correm, só estão bem aqueles que sempre andaram com o vento, que se instalaram e cristalizaram nos cadeirões e cadeirinhas do poder hierárquico criado pelo modelo único e feudalizado de gestão escolar…” Paulo Guinote

É possível elogiar Crato que aumentou o nº de alunos turma, reduziu os apoios e manteve o modelo único e feudalizado de gestão escolar. Não! Teve coragem de mexer em algumas “capelinhas” do ME mas foi pouco coisa!

PS, PSD e CDS chumbam texto final dos professores

O texto final que reconhece a recuperação da contagem integral do tempo das carreiras congeladas dos professores foi chumbado por PS, PSD e CDS-PP, apesar dos votos a favor do PCP, BE, do PEV e da abstenção do PAN. Com esta votação final global no plenário da Assembleia da República, mantém-se em vigor, sem qualquer alteração, o diploma do Governo que reconhece apenas dois anos, nove meses e 18 dias da recuperação do tempo…

Fonte: Publico

Carlos Santos

“É importante mudar a estratégia. Temos que começar por arrumar a casa. O Mário Nogueira pode até dizer a maior verdade do mundo mas já não consegue fazer passar a mensagem. Neste momento ele representa um problema para a classe docente. Os rostos terão que ser outros.
Por outro lado é importante pedir um parecer jurídico para saber se há alguma viabilidade de termos sucesso nos tribunais. A diferença de tratamento entre funcionários públicos, o não cumprimento do estatuto da carreira etc. Faz-me confusão eu não ter direitos como outros trabalhadores. O meu patrão é que faz as leis! Não há ninguém que faça cumprir as expectativas que criaram quando eu assinei com o estado o meu contrato de trabalho. Será que foi tudo premeditado ? Fui vitima de uma burla ? Entreguei os meus melhores anos de vida e agora com 23 anos de serviço estou apenas no 3º escalão !
Temos que pensar em organizar uma outra forma de fazer existir um estado de direito. Chega de cartazes e autocolantes, greves e manifestações ( coisas do século passado).
Em tempos o Paulo organizou um pedido de um parecer ( penso que ao Garcia) eu contribuí e estarei disposto a contribuir outra vez para contratar os melhores advogados. Só nesta última greve das avaliações perdi quase 300 euros. Não volto fazer greves. Não quero ser boneco de nenhum partido.
Tenho para mim que eles preferem manter as coisas assim, o descontentamento rende votos à oposição. Como Humberto Eco escreveu : na idade média quando se sabia que tinha entrado um curandeiro na cidade os aleijados ,cegos e surdos fugiam todos para não perderem o seu ganha pão.”

O Maurício No Opinião Pública

O Meu Quintal

IMG_0882

Primeira intervenção clara de uma professora de Almada, seguida de um alegado “reformado” com défice de medicação e coerência, que diz que merecemos “zero” e que tem menos reforma mais que está ali “caladinho”, mas a falar sem parar. Segue-se um “assistente de enfermagem” que liga de fora do país parece mais interessado em divulgar que emigrou e que tem aquela noção de que se um está mal, todos devem estar mal. E diz que os professores deveriam ter feito “algazarra” quando nos congelaram. Perdoai-lhe, senhores, porque ele esteve fora e não deu pelas manifestações, greves e tudo o mais, como as manifestações depois do primeiro congelamento e a greve às avaliações em 2013.

Maurício a explicar que os professores pagaram mais do que a média para a austeridade. Ele está muito sério… muito concentrado. E explica que 70% dos funcionários já recuperaram todo o tempo.

Segue-se uma bancária reformada…

View original post mais 324 palavras

Um conformismo geral com meia dúzia de indomáveis resistentes

Levantar o ânimo de quem já parece conformado com a sua sorte, parece uma tarefa gigante neste final de ano letivo. Até mesmo os líderes dos grandes sindicatos parecem descrentes. João Dias da Silva anda desaparecido e Nogueira descontente com o seu partido. Greves às avaliações que convocam só parcialmente a classe e recurso aos tribunais é curto para tanto desaforo dos políticos.

Em momento algum se pensou numa greve que deixaria os pais e o governo desesperados. A greve dos Educadores e primeiro ciclo por uma semana. Infelizmente o guião da luta está elaborado e assinado pelos professores sindicalizados, e não só. Resta a esperança que algum sindicato fora da caixa tenha uma façanha igual à do ano passado ou aconteça algo inesperado.