Passado Um Ano – O Estranho Caso Da Fuga De Professores Dos Jardins – Escola João de Deus – Tudo Na Mesma! — ComRegras

Meus caros, estamos em Portugal! A premissa serve para explicar a razão de estar tudo na mesma! Como se devem recordar, há um ano denunciei aqui o que se passava na Associação de Jardins-Escola João de Deus,a ideia era, apenas e só, refletir e mudar o rumo de uma Associação que começava a dar sinais…

Passado Um Ano – O Estranho Caso Da Fuga De Professores Dos Jardins – Escola João de Deus – Tudo Na Mesma! — ComRegras

Paulo Guinote no JL/Educação

“A fragilização dos professores mais velhos, exigindo-se-lhe mais em troca de menos, conduziu a uma generalização de situações de esgotamento com reflexo no aumento de problemas de saúde e de ausências por atestado.”

Sobretudo menos tempo de qualidade a partir dos 60 anos.

Também no “Educare” os votos de ANO NOVO de diversos intervenientes em blogues de educação para Tiago Brandão. https://www.educare.pt/noticias/noticia/ver/?id=158948&langid=1

José Veiga Simão

Reforçando os comentários de muitas colegas relativamente às diferenças de trabalho e de horário semanal entre o 1º e os restantes Ciclos, convém ainda lembrar que quando passou a idade de aposentação dos 60 para os 65 anos, “a nossa querida MLR” , com a evidente tática da avestruz por parte dos sindicatos, atirou para cima dos docentes do 1º ciclo não cinco mas DEZ anos de carreira, deitando a compensação pela monodocencia para o caixote do lixo. Apetece dizer, a quem não compreende a realidade e os anseios dos profissionais do 1º Ciclo que “pimenta no cú dos outros para mim é açúcar” !

tática da avestruz

Monodocentes sexagenários dobrados a vários poderes chegarão aos 66,5 anos

A revolta inicial esfumou-se completamente. As saídas com ajudas médicas, as saídas de última hora de um grupo avisado e indemnizado ou a conversão em trabalhos moderados nas escolas, fizeram-nos aceitar quase sem luta o triste destino. A quem cabia defender-nos, alinhou com o poder, abandonou-nos. A nova realidade dos professores com netos da idade dos seus alunos já se tornou normal no dia a dia.

Escaparam os que se esconderam atrás das secretárias do poder, de modo a não passar pelo “inferno” do barulho típico das crianças na escola.

https://duilios.wordpress.com/2018/02/24/estudo-apresentado-por-antonio-carvalho-na-ar/

À espera de milagres — A Estátua de Sal

(Ricardo Paes Mamede, 24/12/2019) A proposta de Orçamento de Estado (OE) para 2020 prevê um aumento de 0,3% nos salários da função pública. Prevê também uma inflação para Portugal de 1%. Isto significa que muitos funcionários públicos vão perder poder de compra. Outra vez. Será o 19º ano que isto acontece nos últimos 20 .

O governo diz que não é bem assim. Segundo o relatório do orçamento, em 2020 haverá promoções e progressões nas várias carreiras da função pública, traduzindo-se num aumento salarial médio de 3,2% (e numa despesa adicional de 715 milhões de euros) face a 2019…

À espera de milagres — A Estátua de Sal

Depressões Elsa, Fabien e Centeno — A Estátua de Sal

Que se saiba, Mário ainda não é nome de tempestade, mas Centeno ameaça tornar-se numa depressão para o interior do Governo tal é a falta de vontade demonstrada em continuar a chefiar as Finanças portuguesas.

(Vítor Matos, in Expresso Diário, 23/12/2019) Quando há uma catástrofe natural, raramente estamos preparados. Há 18 anos, quando houve cheias gravíssimas na região de Coimbra, o então primeiro-ministro António Guterres dizia que eram precisas medidas excecionais. Ontem à noite, enquanto a localidade de Casal Novo do…

Depressões Elsa, Fabien e Centeno — A Estátua de Sal