O Império Da Treta Oportunista

O mais aterrorizador deste “tempo de oportunidades” será que muitas das medidas de “incentivo” ficarão a cargo das autarquias; não por tais medidas não serem eventualmente “eficazes” mas por o serem à custa da opacidade de procedimentos, pois já agora há “técnicos especializados” que ficam sempre nos lugares desejados em pseudo-concursos viciados à partida. E algumas outras “normalidades” que se começam a instalar com argumentos de “adequação” aos “projectos”, nomeadamente sob sugestão/aprovação de certos grupos de “consultores” na elaboração de “planos (inter)municipais”.

O Meu Quintal

Não, não será oportunidade para mais nada do que poupanças e desprofissionalização da docência, com a entrada nas escolas dos interesses locais e regionais. Por uma razão simples… já nos últimos dez anos existiu uma evolução similar dos indicadores relativos ao pessoal docente e discente.

Nos próximos quatro anos cerca de 18 mil professores vão sair das escolas para a reforma, mas no mesmo tempo haverá perto de 101 mil alunos a menos. Será esta uma oportunidade para o sistema educativo? Por agora, a falta de professores em certas zonas do país exige do Governo e das autarquias medidas imediatas.

Vejamos o que se passou nesta década. Eis os dados oficiais da dgeec para 2009-10 e 2017-18 (os últimos online):

Profes09a10Profes17a18

Já neste período tivemos (apesar daquelas mistificadoras vinculações “extraordinárias”) uma redução de quase 13.400 professores dos quadros e de quase 27.000 em exercício. Isto significa que se verificou uma diminuição…

View original post mais 315 palavras

A colega Margarida Alegria Ferreira pôs o dedo na ferida

Ouviram o SE costa?! Para ele:
1 – as escolas portuguesas são seguras globalmente(como se fosse essa a questão)

  1. Algumas agressões são dentro da sala de aula e isso não se resolve com mais funcionários (AO)… Ou seja… O problema se calhar está no professor que assiste à batatada entre alunos…
  2. Realmente, diz, com carita de “santo de pau carunchoso” , há alguma falta de funcionários porque… Há muitos de baixa (ó homem! Entao quais serão as razões? Gostarão também de serem enxovalhados, agredidos e desrespeitados tendo eles os seus próprios filhos para criar(como já ouvi funcionárias a justificar para não intervirem mais, por serem maltratadas, insultadas e colocadas em perigo e depois ainda serem muitas vezes admoestadas pelas direcções)? E com a “fortuna” que ganham ficam mais motivados?
    O seu depoimento só serviu para confirmar:
    Esse desrespeito vem também da tutela, nos últimos anos mais que nunca, com desprezo e silêncio , este tipo de desvalorização dos problemas e ainda por cima com a caterva de noticias plantadas nos jornais pelos spin doctors e “jornaleiros” amigos, num dos maiores controles de informação de que há memória! (e a mais intensa da nossa democracia)
    No fim da reportagem vinha a “boa notícia” da tutela: ah e tal, a professora agredida que surgiu a depor vai poder beneficiar do regime de mobilidade para mudar de escola. Tal como o funcionário agredido é que foi mudado de escola (mas o aluno nunca é expulso ou raramente transferido!). Fantástico ! 😖😖😖
    VERGONHA! VERGONHA! VERGONHA! 😖😖😖

Terminou ontem o privilégio de sermos capital europeia do desporto, é hora de recolher as canas

Devo reconhecer que muito tem sido feito para melhorar a qualidade desportiva da cidade de Portimão. O basquetebol, o hóquei e a patinagem, a ginástica ritmica estão no bom caminho, O andebol, o voleibol e outras modalidades amadoras têm sementes lançadas para renascer. Nos desportos aquáticos apesar das excelentes condições, ainda há muito a fazer.

Estamos melhor que o Alentejo e algum interior do país, mas em relação ao Norte do país e à zona da grande Lisboa estamos muito atrasados.