Caravela portuguesa – Texto XV de Jacinto Palma Dias

Face ao tratamento negligente de que foi alvo ao longo dos tempos recentes e menos recentes, a caravela aparece-nos como um out-sider, senão mesmo um bastardo da nossa História. Uma coisa alheia por parecer que ninguém reivindicou a sua propriedade, talvez mesmo por se suspeitar ter uma origem exterior aos centros de poder vigentes da actualidade. Houve uma tentativa para fazer da caravela uma “filha legitima” associando-a ao Infante. Mas isso falhou quando se soube que Henrique quando a encontrou já ela há muito estava em andamento e, como tal, não a podia perfilhar como sua.
Esta estranha situação de a caravela nos aparecer como a mal-amada da História de Portugal, apesar dos elogios de Cadamosto (marinheiro italiano) e de outros mais, terá ela a ver com uma real ilegitimidade paternal ? Repare-se que Garcia de Resende ao escrever a crónica de D.João II, reportando-se ao ultimo quartel do sec XV, disse haver nessa época caravelas em Lisboa e no Algarve. Mas os companheiros de Zarco na descoberta da Madeira, 60 anos antes (1419), fazem-nas residir apenas no Algarve, segundo os testemunhos citados por Vitorino Nemésio ( Texto XI ). Repare-se que, nessa época, o protocolo das chancelarias reais indicam-nos Portugal e o Algarve como reinos distintos. Ora o que aconteceu foi que, após a morte do Infante em 1460, ele que estava inteiramente ligado aos negócios ultramarinos a partir de Lagos, a burguesia de Lisboa sentiu-se mais à vontade para capturar em seu proveito esses tráficos. Foi assim que a companhia Lagos-Arguim foi deslocalizada para Lisboa após carta régia de Afonso V datada de 1463, e só depois desta real usurpação ao reino do Algarve, é que as caravelas aparecem em Lisboa como aí residentes e não apenas no Algarve . Está esclarecido, assim, o estatuto de bastardia que sempre as rodeou.

Jacinto Palma Dias. Selecção e arranjo da imagem da caravela de António Tengarrinha Pires (almirante). Fotografia de Zélia Paixão

https://duilios.wordpress.com/2019/11/30/a-caravela-portuguesa-texto-xiv-de-jacinto-palma-dias/

https://duilios.wordpress.com/2019/11/26/texto-xiii-de-jacinto-palma-dias/

3 opiniões sobre “Caravela portuguesa – Texto XV de Jacinto Palma Dias”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s