O ALGARVE EM CHOQUE FRONTAL por Jacinto Palma Dias

Em segundo lugar no desempenho do PIB (nível 83) logo a seguir a Lisboa (nível 100), com um numero de visitantes que até Setembro passado atingiu os 4 milhões, uma subida de 8% face a igual período de 2018, o Algarve parece estar em grande. Foi a região que mais cresceu em Portugal nos últimos 2 anos ( Expresso/Economia 30-11) representando quase 5% do PIB nacional. Tudo aponta para um apogeu tanto como para uma estrelinha de bem-estar.
Ora, imprevisivelmente, acontece o contrário e a universitária Andreia Fidalgo, em texto publicado no fbook de Duarte Gonçalo Gomes, 13 Dezembro ultimo, alerta que, ao nível da desigualdade de rendimentos, a região do Algarve está em quarto, o que traduz uma situação de despromoção . Considerando a”taxa de privação material e risco de pobreza ” Andreia Fidalgo aponta o Algarve para o ultimo lugar. Em contraposição viver no Algarve é muito ” caro ” constata um superior da CGD (Expresso/economia 30-11) E se Portugal, em geral, se arrasta com um dos mais baixos investimentos públicos da Europa ( 3ºpior), o Algarve servir-lhe-à de cobaia exemplar. Certamente que os valores criados e produzidos se não ficam na região como os números acima indicam , são certamente drenados para fora dela , realidade só explicável pela via do paradigma colonial (continua). Jacinto Palma Dias

Os efeitos desta situação de Pandemia virá agravar a situação económica do Algarve que poderá ser catastrófica. Os mais pobre naturalmente serão os principais castigados.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s