Quando nos municípios nos acham ignorantes

Tive hoje a subida honra de ser chamado ignorante, à frente de centenas de pessoas, por ter dito que a municipalização da educação é má ideia. Um ex-residente na Carregueira acha que tal coisa não existe. E que só professores ignorantes falam disso. Curiosamente, na sua longa dircursata explicou que precisava de “unidades orgânicas” para gerir o pessoal técnico e docente que o seu Município contrata e põe nas Escolas. O que fazem as direcções e órgãos próprios das escolas, se a câmara municipalizar os poderes de decisão interna? Autonomia escolar fica onde, se o psicólogo andar às ordens da autarquia? E, se a câmara paga projetos e não tem dinheiro para todos, ao escolher, não está a municipalizar essas atividades? Autonomia escolar, mas o orçamento de cada escola é alocado pelo município? Isso é o que os autarcas se queixam em relação ao Governo. O centralismo pode ser do Terreiro do Paço ou, na sua nova forma para as escolas, dos Paços do Concelho..

Luis Sottomaior Braga

Avaliação da Semana | Ano novo, velhos problemas — ComRegras

Terminadas as férias natalícias e retomadas as aulas, é notória a persistência dos velhos problemas da Educação à portuguesa. É verdade que a pausa lectiva serviu a todos, alunos, professores e funcionários, para um recarregar de baterias que permitirá enfrentar com mais algum ânimo e optimismo os tempos difíceis que continuamos a viver nas escola. Contudo o que se nota no regresso às aulas é que persistem no quotidiano escolar os mesmos bloqueios e constrangimentos que já existiam. Sem quaisquer perspectivas para a sua superação…

Avaliação da Semana | Ano novo, velhos problemas — ComRegras