Aos instalados que enchem a boca com a luta e se sentem herdeiros dos que lutaram no passado, eu respondo, ninguém é de ninguém

No dia 31 está prevista uma greve quase geral da função pública. Qual a relevância dos professores nesta greve, num dia em que quase só os privados trabalharão?

Neste protesto os problemas específicos da classe ficam reduzidos apenas à agenda politica de alguns? Continuaremos a sofrer no dia a dia agressões físicas e morais de alunos, dos pais, e não só?

A proletarização dos professores está em narcha!