A interrupção e a hybris dos tele-educadores

Vivemos uma interrupção. Adaptemo-nos a isso sem transformar o anormal em novo normal, sem fetichismos que separem o nosso desejo da coisa verdadeiramente desejada: um país e um sistema de educação justos e decentes, intelectualmente honestos, que não transige da ideia de igualdade e que não deixa ninguém para trás.

https://www.publico.pt/2020/04/01/sociedade/opiniao/interrupcao-hybris-teleeducadores-1910424