Pedro – texto de Luís Costa

Conheço bem essa porta, Pedro, e a umbrosa galeria que a ela conduz. Já me plantei diante dela vezes incontáveis, mão no puxador, a medir forças, ou a abrir caminho, não sei. Nunca sabemos se têm regresso os passos perdidos que ousamos dar. Também já me aventurei a entreabri-la, para divisar o por-detrás dela: cisnes fúmeos voando, levemente, lentamente… pacificamente… como se apenas estivessem a flanar, suspensos… Num instante, uma tontura… e também seria ar.Prenderam-se as âncoras, Pedro. Foram sempre elas que não me deixaram entrar…

Excelente texto, grande homenagem ao Pedro

Alma de mestre, grande poeta.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s