Ministro Não Esclarece Se É Possível Haver Dois Alunos Por Carteira — ComRegras

O presidente da comissão parlamentar da Educação apelou aos grupos parlamentares para reduzirem o número de presentes na audição do ministro da Educação que se está a realizar na tarde desta terça-feira. 48 mais palavras

Ministro Não Esclarece Se É Possível Haver Dois Alunos Por Carteira — ComRegras

Comentário no ComRegras sobre o texto “E se o povo acusasse MN? de Paulo Baldaia no jn

Fartinho da Silva 

O Baldaia? É pá se é o Baldaia só pode ser bom para os professores! Mando o Nogueira para o lado do prato da sopa que o Baldaia só o usa para o acicate e para darem razão ao Baldaia!!!
O que está em causa é responder à pergunta: as indicações do governo seguem as indicações da Ciência e da DGS em relação à COVD? O Mário Nogueira é o isco de Paulo Baldaia para que se fechem os olhos ao nada que são as medidas de contenção nas escolas! Depois fica sempre bem arrimar com a grandeza do futuro do jovens etc e tal …

”Quando Paulo Baldaia falou comigo ao telefone, foi a única vez e foi para me despedir. Era diretor há cinco meses. Disse que eu confundia os leitores do “DN”: havia quem só fosse à página do “DN” por minha causa e ficasse confuso com o resto do jornal, e havia leitores “naturais” do “DN” que ficavam confusos com a minha crónica, e a culpa era minha. Segundo o próprio me disse, o objetivo dele era o de evitar confrontos e agradar “à corte de Lisboa”. Não queria chatices.” In Jornal Sol, entrevista a Alberto Gonçalves.

Pela CNN

Teachers are so worried about returning to school that they’re preparing wills

(CNN)Back-to-school is looking a little different for many teachers nationwide this year, as they grapple with returning to their classrooms amid a pandemic.Added to their list of concerns: Death.”How horrible is it that one of the things on the list to do is to have a plan for students and teachers dying?” Denise Bradford, a teacher in Orange County, California’s Saddleback Valley Unified School District, told CNN…

E É Isto…

..……Para facilitar, no próximo ano lectivo, talvez pela primeira vez de forma explícita, muit@s professor@s serão activamente empurrad@s para baixas médicas, mal digam que têm qualquer factor de risco ou familiares nessa situação. Pelo que se percebeu, a ideia é afastar o maior número de docentes com receio de contágio para a situação de atestado, enquanto se promete vagamente pela enésima vez, que poderá existir um regime antecipado de reformas que apenas levará um mínimo de 50% do rendimento liquido.

O Meu Quintal

Já se percebeu que o “Perfil do Docente à Entrada da Carreira Horizontal no Ensino Público” (ou privado amigo) deve ser assim: muita animação inconsequente com agitação de mãos e braços para chamar a atenção, pouco peso de saberes académicos ultrapassados que só atrapalham a comunicação e esforçam as mentes, disponibilidade para ir a programas de grande audiência em que se tenta acertar o preço do detergente multiusos, uma filiação expressa nos ideais do MEM (mesmo que não se saiba explicá-los para além da caricatura que faria corar de vergonha os fundadores), uma adesão acrítica a qualquer recomendação da tutela, mesmo que contraditória em relação à última e à seguinte, um “dispositivo” tecnológico (ou mesmo  dois) para ir em busca de qualquer tema com base no algoritmo do google (que o do bing deixa um bocado a desejar), um entusiasmo sem limites pelas “plataformas” e “ferramentas” do “novo paradigma”.

É…

View original post mais 392 palavras

Directores de colegios públicos na Galiza rejeitam plano da Junta Regional contra a Covid- ArLindo

La dotación de medios económicos y de personal que establece a Consellería de Educación en el protocolo contra el covid-19 para el inicio del próximo curso escolar «é nula». El colectivo que aglutina a los equipos directivos de los colegios de enseñanza pública (Fegadicep) ha mostrado su rechazo a las medidas presentadas y de aplicación desde septiembre porque, junto a las deficiencias presupuestarias y de personal, entiende que la Administración gallega «trata de derivar as responsabilidades aos equipos directivos e ao profesorado».

Fegadicep se refiere a que los docentes comenzarán la actividad educativa sin que se concreten las dotaciones necesarias en lo que se refiere a las medidas de protección que recomiendan tanto el Ministerio de Sanidad como la OMS. El protocolo aconseja el uso de mascarillas e incluso pantallas protectoras, pero no se especifica si habrá remuneración para ello.

Otro aspecto que preocupa a los directivos se refiere al cumplimiento de las medidas de higiene. El documento, aseguran, no concreta si habrá asignación de personal específico para ello. Se trata, insisten, de un servicio que, en los centros de infantil y primaria prestan los ayuntamientos, que son los que contratan estos servicios. Se preguntan si van a ser las propias empresas quienes amplíen sus plantillas para limpiar los aseos tres veces al día o si, por el contrario, será el profesorado quien deba encargarse de ello. Un extra que hay que planificar también en el caso de que se detectase algún alumno o trabajador con síntomas de haber contraído el coronavirus. «Preténdese que sexa o profesorado quen limpe os espazos e material utilizado polo alumnado? Quen realiza a tarefa de limpeza do material?», se preguntan.

Tampoco se podrá cumplir la normativa en materia de distancia de seguridad en las aulas para infantil y primaria. Argumentan que las clases no tienen capacidad suficiente para separa los pupitres o para albergar a los niños de la primera etapa educativa, pues, en este caso comparten mesas comunes, sostiene Fegadicep.

La falta de renovación de equipos informáticos ya obsoletos impedirán, en el caso de que hubiese que poner en práctica de nuevo la formación telemática, que los docentes puedan normalizar esta modalidad porque, insiste el colectivo, ya han tenido que afrontarlo con medios propios.

Además, recuerdan que mantener el servicio de comedor implicaría más colaboradores y servicio de limpieza extra habida cuenta de que habría que desdoblar más turnos para los comensales. Tampoco creen operativo el transporte escolar, ya que es compartido por alumnado de distintas etapas y no resultará factible mantener las distancias de seguridad necesarias.

En definitiva, los equipos directivos integrados en la asociación, entienden que el protocolo presentado por la consellería «denota o descoñecemento do funcionamento interno dos centros e pretende desenvolver o vindeiro curso con total normalidade e a custe cero primando a función conciliadora dos centros educativos», por lo que de iniciarse la actividad académica en estas condiciones será, a su juicio, inviable en muchos casos, y «verase minimizada».

Das certezas do secretário Costa às dúvidas de Luís Ferreira

Secretário de Estado da Educação diz que essência de ensinar passa por “estar face a face, acompanhado por dispositivos”

– o que é “estar face a face, acompanhado por dispositivos”?
– em que medida é que a Microsoft, a Google e a Huawei estão a definir a politica de educação em Portugal?
– quem autorizou que os dados dos professores, alunos e encarregados de educação passassem a ser propriedade da Microsoft, da Google e da Huawei?
– porque é que o Governo não paga a uma universidade portuguesa para fazer a gestão de uma plataforma que sirva os interesses de alunos e professores?

Por exemplo, o IST tem uma:
https://sartre.tecnico.ulisboa.pt/metodologias-e-ferramentas/ferramentas/exonlinex-mooc-tecnico/
com características muito mais sofisticadas que a Classroom, por exemplo.

Não seria muito mais racional o que dinheiro que o Estado vai gastar com os serviços destas multinacionais servisse para investir num centro situado numa universidade portuguesa que a ajudaria a ela e os enormes recursos financeiros não atravessariam a fronteira?

É que de manhã o governo fala de industrialização e desenvolvimentos de competências tecnológicas nacionais, mas no final do dia o que se percebe é que a industrialização é a de terceiros.

Respostas Às Questões Colocadas No “Bate Papo” Da Reunião Com Diretores De Escolas Da Região Do Alentejo e Algarve

O Meu Quintal

E fica aqui o último naco dos “Bate-Papos” do início da semana. Muitas questões e respostas repetidas, mas dá para ficarmos com uma noção daquilo que@s director@s podem ou não fazer e do que o SE Costa responde ou deixa por responder. No fundo, é para dizer “presente” ou meter baixa, ficando tudo o mais parecido com o que era dantes.

De (…): 05:17 PM
Duas precisões: Crédito adicional de 2h destinado à EMAEI. As 2 h são para cada membro docente? Podem ser atribuídas ao psicólogo (só tem meio horário) ou vai ter mais?) Segunda precisão: O funcionamento das tutorias é para manter com o no de 10 alunos ou teremos de continuar a pedir autorizações se forem mais ou menos?

R: São duas horas no total a ser atribuído ao coordenador ou totalmente ou divididas com outros membros, para além da possibilidade de serem também atribuídas outras horas…

View original post mais 898 palavras

Avaliação da Semana | O ano lectivo do desconfinamento — ComRegras

O ano lectivo do desconfinamento A semana que passou não trouxe praticamente assuntos novos à actualidade educativa. Antecipando as ansiadas férias, no final de um ano lectivo atípico, longo e particularmente desgastante, apenas uma discussão relevante prosseguiu, em tom morno: em que condições reabrirão as escolas em Setembro, para o início das aulas presenciais que,…

Avaliação da Semana | O ano lectivo do desconfinamento — ComRegras