A Fazer De Coro Grego No JL/Educação

…….··Na Grécia, o número de alunos por turma foi reduzido para 17 e na Sérvia e Bósnia para 15. Em Espanha para 20, mesmo se existem dúvidas quanto à forma como isso irá acontecer, pois chega a prever-se a organização de aulas em espaços exteriores às salas tradicionais. E exige-se o uso de máscaras a partir dos 6 anos (1º ciclo), tanto em Espanha, como na Grécia, enquanto na Itália isso é exigido sempre que a distância de segurança não puder ser mantida. Também neste país, foram encomendadas quase 2,5 milhões de mesas individuais para os alunos[ii].

O Meu Quintal

Depois de 7 páginas de ensaboadelas positivas do SE Costa, do Filinto Lima, do Adelino Calado, do homem da Confap, do pessoal das Inquietações Pedagógicas, etc, etc, tudo a querer dar a entender que podemos confiar e que tudo vai correr bem, vem o desmancha-prazeres do costume a escrever que pensa exactamente ao contrário e que conversa fiada não transmite confiança a ninguém. E assim a publicação fica integral, com as notitas de rodapé que parecem irritar os paginadores.

A erosão da confiança

Um novo ano lectivo está a arrancar e, quase por certo mais do que o anterior, será um ano atípico, com muitas variáveis que é praticamente impossível prever em toda a sua diversidade. Por isso, ainda mais do que em situações tida como “normais”, é muito importante que os decisores políticos e todos os envolvidos no apoio à tomada de decisões na área da política educativa (ou…

View original post mais 1.303 palavras

Lançamento do ano letivo: muita burocracia, muitas reuniões e a velha tática de virar a opinião contra os professores quando desalinhados. — ComRegras

Estamos na segunda semana de setembro, a meio das reuniões para o lançamento do ano letivo, a primeira ideia é que a burocracia continua a imperar: plano presencial, plano misto, plano não presencial, plano de recuperação de conteúdos, planificação dos conteúdos e seu relacionamento com os 3 primeiros planos, articulação horizontal e vertical com outras…

Lançamento do ano letivo: muita burocracia, muitas reuniões e a velha tática de virar a opinião contra os professores quando desalinhados. — ComRegras