Governo não revela números de infecções em escolas desde o início do ano lectivo — ComRegras

Aqui e ali há rumores de infecções: Lagos tem uma turma da pré em casa. Fala-se de uma professora da EE de uma escola de Portimão. E muitos outros com o silêncio das direções dos agrupamentos.

O Ministério de Educação não revela quantos casos de infecção foram, até esta altura, detectados em escolas desde o início do ano lectivo. Esta terça-feira, uma semana depois do início do novo ano escolar, o PÚBLICO questionou a tutela para perceber, por um lado, quantas escolas tinham registado infecções (em alunos, funcionários ou professores) e,…

Governo não revela números de infecções em escolas desde o início do ano lectivo — ComRegras

Será que estou seguro?

As bolhas as bolhinhas e as verdades convenientes

Um aluno da Escola Secundária Afonso de Albuquerque, na Guarda, está infectado com Covid-19. O delegado de Saúde da ULS Guarda, José Valbom, confirmou o caso e adiantou que o jovem está em casa, sendo considerado assintomático…

https://www.jn.pt/nacional/governo-garante-seguranca-nas-aulas-de-educacao-religiosa-12751912.html

https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/secundaria-de-palmela-coloca-21-turmas-em-ensino-a-distancia

No facebook, professor sofre

Considerações sobre o 3º dia do El Corona… Ups, de aulas.

1) Já não se aguenta a máscara. Depois de 8 horas seguidas com máscara, a pessoa fica para morrer. Quando uma pessoa sai da escola e tira a máscara é algo comparável à ressurreição…
2) Já tudo me sabe a gel desinfetante, cheira a gel, acho que até já olho para os alunos e vejo frascos de gel…
3) Ao terceiro dia começou o “A máscara é para usar no nariz. O vírus também entra por aí”, “O que é que estás a fazer? Não se puxa a máscara para falar. Ainda te salta o vírus aí de dentro”, “Ó alminha, a tua máscara tem o nariz de fora”… E por aí fora. Uma duzentas vezes por aula. (Isto vai ser lindo, vai).
4) Continuam os problemas de audição. Há alunos que não se percebe nadinha do que dizem. Peço para falarem mais alto, mas acho que ainda diminuem o volume.
5) Hoje lembrei-me mostrar às alminhas uma imagem da escultura “O Pensador”, de Rodin.
“- Ai, pressôre, a estátua está nua.”
“- Sim, verdade. Retrata um homem despido, sentado numa pedra numa atitude de reflexão sobre si próprio.”
“- Pressôre, tem lógica. Eu quando estou no banho é quando tenho as melhores ideias.”
“- Agora percebi pressôre, então ele é “O Pensador” porque está a pensar como pode ir comprar roupa.”
Isto promete…
6) PÕE A MÁSCARA NO NARIZ!
7) Vídeo sobre a Alegoria da Caverna, de Platão. Depois de explicado, debatido e devidamente analisado, o professor pergunta: “Metaforicamente, quais consideram ser as cavernas da atualidade?”
“- As grutas!”
Isto promete – parte 2.
8) Depois de muito bem desinfetadinho, a cheirar a álcool gel , lixívia e com sabor a máscara em toda a cara (até os olhos me ardem), termina mais um dia no reino do El Corona.

João Costa defendeu que médicos devem emitir “falsas baixas médicas” a professores que pertencem a grupos de risco? — ComRegras

 Joao Costa participou num debate sobre o regresso às aulas, promovido pelo jornal “Público” no dia 10 de setembro. No momento em que se colocou a questão relativa à possibilidade de teletrabalho para os professores que pertencem a grupos de risco para a Covid-19, o governante afirmou: ”Se a minha função é  com trabalho não presencial, então eu posso desenvolvê-la, se a minha função é incompatível, então eu tenho de colocar baixa médica”. João Costa acrescentou que, ”no caso específico da educação, num momento em que temos aulas em regime presencial, isto significa que há uma incompatibilidade com trabalho não presencial”.

O secretário de Estado da Educação quis, portanto, dizer que professores que pertencem a grupos de risco não podem optar por teletrabalho e devem pôr baixa, uma vez que as aulas decorrem, para já, em regime exclusivamente presencial.

João Costa defendeu que médicos devem emitir “falsas baixas médicas” a professores que pertencem a grupos de risco? — ComRegras

Criança infetada com covid 19 no Jardim Escola João de Deus de Tavira

Fecham duas salas da escola

Segundo Mara Marques, “as salas do Bibe Azul-Turquesa e do Bibe-Verde Alface ficarão encerradas durante 10 dias, por ordem do Delegado de Saúde. Assim sendo, se não existir nenhuma orientação em contrário, as salas referidas anteriormente abrirão dia 29/09/2020”, não tendo sido determinado o fecho do estabelecimento de ensino.

Aprendizagem da leitura / escrita

Nos casos desesperados de aprendizagem da leitura, ou há liberdade, colaboração e tempo para quem está a trabalhar com o aluno e o milagre acontece, ou ficamos com menos um leitor. Na situação atual as limitações espacio temporais não dão hipóteses que tal aconteça.

Morreu o meu professor de Linguística no magistério

Transcrevo da Página de Paulo Da Silva Ferreira
12 de setembro às 00:18 ·

Hoje é um dia triste para os que, como eu, conviveram intimamente com o Jacinto Palma Dias, para os amigos apenas O Jacinto. As minhas idas ao Algarve, particularmente a Castro Marim, sua terra natal, eram indissociáveis da sua companhia e longas conversas de fim de tarde-noite, primeiro na antiga Horta Sta Maria, mais recentemente na esplanada do Café Central de Altura ou à volta dos petiscos do Sr. João, um mariscador da mesma vila. A partir de agora terei de me habituar a conviver com a sua memória e da releitura dos múltiplos escritos/ensaios histórico-antropológicos que nos deixou nos últimos anos e que, em alguns dos casos, acompanhei de perto nas suas elaborações. A sua obra, bastante heterodoxa para os meios académicos convencionais, releva de um singular estilo polemista e é inseparável da sua idiossincrasia, sensibilidades e ricas vivências pessoais – ainda assim suportada em sólidos conhecimentos-investigações históricas -, sempre com um propósito assumido de repor uma esquecida historiografia e saberes locais algarvios no todo nacional. Para uma visão geral sugiro a sua página de fb transcrita em comentário. Mas para uma apresentação mais rápida do referido estilo proponho a compilação das suas publicações intituladas, “Em Busca Do Elo Perdido”, agora em formato de álbum, tarefa que me tinha comprometido fazê-lo da ultima vez que nos encontrámos em Castro Marim, faz agora aproximadamente dois meses. Já nessa altura, visivelmente doente e pressentindo um fim próximo, a sua grande preocupação era a revisão final de um dos seus melhores ensaios, ‘As Mãos da Princesa’, o único que tinha ficado por editar. Tenho a certeza que a forma que ele mais apreciaria de lhe prestarmos homenagem estará na divulgação e conhecimento dos livros-ensaios que tão empenhadamente levou a cabo nos últimos anos.

https://duilios.wordpress.com/2019/11/26/texto-xiii-de-jacinto-palma-dias/