Reabertura das escolas “A opinião pública na SIC transformada na opinião dos diretores”

A Maria Ferreira professora de Aveiro. “O Sr Filinto que trabalha no gabinete quer todos na escola” . Boa intervenção!

Só agora descobriram que a reabertura deve ser faseada, tal como deveria ter acontecido em janeiro. As máscara no 1°ciclo como em Espanha…acordaram tarde!

Morgado da Herdade da Rola em comentário no “Quintal”, de PG

“Não devemos confundir a burguesia do teletrabalho (os que vivem à custa do teletrabalho dos outros) com as pessoas que laboram on-line…”

Para subir de escalão há regras e obstáculos

A avaliação do docente e a formação mesmo com Excelente por vezes é insuficente. Basta um colega, para os ultrapassar e os pôr fora da pequena lista que passa do 4° e 6° escalões e consegue o acesso ao 5.º e ao 7.º . Assim a maioria dos professores não chegará ao topo da carreira.

A maioria dos Sindicatos (abro exceção ao S.TO.P) já não derrubam obstáculos, vivem exclusivamente das vitórias do passado.

Escolas que continuaram – e continuam – abertas durante o confinamento geral

https://visao.sapo.pt/atualidade/sociedade/2021-02-28-as-escolas-que-continuaram-e-continuam-abertas-durante-o-confinamento-geral/

 os meninos especiais?
A única criança da unidade de autismo que cá está hoje já comeu e regressou para a sala onde passará os dias úteis deste confinamento, rodeada de jogos e de outros mecanismos de estímulo indispensáveis à sua doença. Pode aqui ficar até às três e meia, o que representará um enorme alívio para os pais, que em março e abril não tiveram mesmo onde a deixar, amargura que partilharam com todos os outros cuidadores de alunos que necessitam de medidas adicionais e que não seguem o currículo escolar. “Vêm para cá essencialmente para estar com os seus pares”, explica Gorete Barros, 39 anos, professora do ensino especial e bastante agradada com esta inclusão nas escolas de acolhimento. Além das vantagens relacionais, as terapias a que são sujeitos, como a da fala ou a da motricidade, mantêm-se por estes dias, com os técnicos a virem às escolas apesar do confinamento quase geral. “Eles têm de sentir o seu dia estruturado, para poderem antecipar o que vão fazer e organizarem-se”, completa a professora que hoje se ocupa do único aluno que aqui está. Amanhã juntar-se-á outro…