Comentário +1 no “Quintal”

Receio que este período de campanha eleitoral vá esgotar o debate em torno da educação com o tema do presencial versus incompetência ministerial na conceção do ensino à distância.
Há aspetos essenciais que serão retirados do foco. O pior que aconteceu nestes últimos anos, porque vai marcar negativamente as gerações futuras, foi a obliteração da ciência e do saber nas aprendizagens dos alunos. Isso abre caminho a autocultivos de superficialidade, banalidade e imediatismo fáceis que gerarão sociedades manipuláveis, desestruturadas, crentes em teorias conspirativas e sem laços de valores comuns.
Os DL 54 e 55 publicados nas costas dos professores durante o verão, bem como a flexibilidade curricular, projetos maia, ubuntu e moleza avaliativa revelam bem a falta de qualidade que já domina a classe dos decisores políticos. A ciência e o saber estão a ser destruídos e retirados do currículo a favor de um folclore pseudopedagógico. É como se de um esqueleto retirassem a coluna e quisessem que ele se mantivesse vertical só com falanges e metatarsos.
Sempre quero ver se nos debates algum jornalista mais afoito (que já não os há, pois estão todos avençados) vai perguntar sobre isto e levar ao fundo a exploração deste tema. Se acontecer, o Rio limitar-se-á a proferir clichés meio aos gritos, meio ao engraçadinho. O Costa limitar-se-á a engolir a dicção refugiando-se na defesa dos seus arrebanhados decisores da área sem perceber muito bem as implicações daquilo que eles decidiram, ou tentando esconder as verdadeiras implicações daquilo que foi feito, pois ele sabe que sabemos que ele sabe que quanto maior a família socialista a alimentar mais hipóteses tem o polvo. A Catarina e o Jerónimo atirarão culpas para o PS sem assumirem as respetivas culpas. O Cotrim e o Ventura, sem nada perceberem do assunto, limitar-se-ão a dizer que é mau o que existe e que é preciso voltar à ditadura de direita.
Ao mesmo tempo nenhum jornalista abordará o tema da gestão escolar autocrática que existe hoje. Nenhum questionará sobre os tiques ditatoriais e sobre os diretores que estão no poder prontos para alcançar o prazo de validade de Salazar, os 50 anos no cargo! Nenhum líder político puxará este ponto atrofiador para os debates porque não lhes interessa, não sabem, nem querem saber. Nenhum jornalista e nenhum político puxará para o debate a imensa tristeza e desgaste que pairam sobre os professores pelos maus tratos a que têm sido sujeitos e pelas injustiças do roubo salarial e de tempo de serviço para encher buracos abertos por ladrões de cartola.
A coisa ficará ao nível da superficialidade, não se chamará ao debate quem percebe mesmo do assunto, haverá até o cuidado de os silenciar pois a questão para se perceber na sua inteireza exige trabalho de aprofundamento quer a políticos, quer a jornalistas e eles não estão para isso. Para quê estudar e ser sério se o que interessa é o momento, se o que interessa é audiência rápida, se o que interessa é voto por impulso.
Portanto, mais uma vez, se perderá a oportunidade de debater com verdade a questão mais basilar da construção social que é a educação.
E porquê? Porque é melhor fazer como avestruz: perante o perigo esconder a cabeça na areia!

A impreparação para o e@d foi um erro crasso do ME

...O trabalho que deveria ter sido feito, em especial junto dos mais novos (o que estará em causa será principalmente o regresso do 1º e 2º ciclos), não foi por falta de equipamentos nas escolas ou pela manutenção da banda larga num nível que impede qualquer trabalho a sério de exploração síncrona das plataformas digitais. Juntando isso à falta de informações fiáveis junto da opinião pública e à facção aguerrida dos comentadores mediáticos “presencialistas” será impossível qualquer tipo de debate esclarecedor e não tóxico sobre esta matéria.” Paulo Guinote

Aprender a ler e a escrever, passo a passo, letra a letra

https://www.escolavirtual.pt/Blogue/Artigos/aprender-a-ler-e-a-escrever-passo-a-passo-letra-a-letra.htm

Há ferramentas e estratégias, há vários caminhos e possibilidades. E há ritmos diferentes para quem entra numa sala de aulas pela primeira vez. É um processo de descoberta, o início de um novo mundo.

A aprendizagem tem os seus métodos e ferramentas. É um processo complexo, denso, intenso. Aprender a ler e a escrever é a base de tudo o resto, há vários caminhos para lá chegar, e requisitos prévios que ajudam, não só cognitivos, mas também emocionais. As letras reproduzem os sons da fala, as crianças percebem como tudo funciona, são momentos fascinantes…

IMAGEM DA ESCOLA VIRTUAL 1º ano

Fechar as escolas sem e@d é prejudicial para os alunos mais novos e “mais fracos”

Um período tão largo de ausência do professor pode ser o fim da recuperação de alguns alunos. Quase um mês de paragem causa retrocessos difíceis de contornar. As escolas fechavam, mas as aulas online começavam na data prevista. Assim, alguns alunos trocarão o interesse escolar, pelo tédio digital ou vício de jogos deseducativos. “A escola tem de saber responder digitalmente a estas intempéries

Assim a escola como elevador social fica comprometida! Como praticamente não há chumbos o esforço é menor.
A maioria das escolas do ensino privado terá calendário diferente!

Conto de Natal – Luís Costa

Escola Portuguesa

O VALE DOS SONHOS ABANDONADOS

A noite vestia silêncio e escuridão. Noite ideal para encontrar sonhos abandonados, porque os sonhos, mesmo abandonados, têm luz, uma luz ténue, pirilâmpica, mas uma luz. Durante o dia, sobretudo em dias de sol, mal se vê. À noite, porém, sobretudo em noites de breu, a luz dos sonhos, mesmo a dos mais enjeitados, oferece-se, discreta e sedutora, aos olhos mais puros. Nessa noite, noite de silêncio e escuridão, o vale dos sonhos abandonados parecia um solitário firmamento densamente povoado de luzes tímidas.

Nessa noite, ansiosamente, Josué catava sonhos que ali jaziam, havia muito tempo. Já correra o vale vezes sem conta, porém, na imensa luzência, não conseguira distinguir aqueles que realmente procurava. Decidira, por isso, retomar a busca de joelhos, para ter as retinas mais próximas do leito onde dormiam e assim os poder enxergar melhor. Contudo, permanecia vã a sua demanda.

Subitamente, sentiu…

View original post mais 677 palavras