Ave Cesar! 2 histórias de concursos: Roma afinal paga e até se pode cair no caldeirão da poção mágica — ComRegras

https://www.sabado.pt/portugal/detalhe/educacao-nomeia-subdiretor-que-nao-estava-no-top-3-da-cresap

Muitas mãos amigas, e outras, nem por isso, me chamaram a atenção para o despacho de nomeação de César Israel Paulo como Subdiretor Geral da DGAE e para o currículo incluso. Comentei aqui o anúncio da nomeação e disse que ía ler e comentar o currículo, que é obrigatoriamente publicado com a nomeação. E lembraram-me.

A nomeação é em regime de substituição. O facto mais saliente daquele despacho não é o currículo do nomeado. O currículo é nulo para a função. Até podia não ser tão frágil que o problema de fundo subsistia.

 Cesar Paulo não tem qualquer experiência relevante de dirigente da administração pública ou da administração escolar, seja a nível intermédio ou superior.

No domínio da formação vai ser apanhado pelo artigo 12º, nº5 do Estatuto do Dirigente que o obriga a frequentar formação administrativa específica (depois de nomeado). Uma coisa chamada CAGEP.

Vai operar num dos serviços mais exigentes, por exemplo, em procedimento administrativo, mas a formação em “cirurgia ortopédica administrativa avançada”, que parece que exigem, tira-a, enquanto opera sozinho (e tem 2 anos para o fazer). Muitos aleijões teremos à vista…

fonte: ComRegras – Texto de Luís Braga